sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Crianças pequenas na internet, é uma coisa boa?

Allie, aos três anos, já pode usar um mouse para jogar seu jogo favorito online, um jogo que envolve a construção de um corpo humano. 
"Ela me surpreende, pois pode navegar mesmo sendo tão jovem", diz a mãe, Heather Coman. "Eu sei que ela está lendo palavras como 'carregar' e 'play'." 
Ao mesmo tempo, a mãe,  estabeleceu limites quanto ao que Allie e sua irmã, Grace, de seis anos, pode fazer online. 
"Não há nenhuma rede social e elas não sabem como fazer uma pesquisa no Google." 


Os Computadores e a Internet são uma parte indispensável da vida moderna, a cada dia mais e mais programas estão sendo desenvolvidos especialmente para as crianças mais novas.
 É uma coisa boa? 
Deveríamos estar permitindo que as crianças, na idade de Allie, estejam na internet? 


Depende da situação, diz Diane Bales, uma professora da Universidade da Georgia, em Atlanta, especialista no uso da tecnologia digital na educação de crianças pequenas. Ela diz que os especialistas estão cada vez mais levando em conta que a informática não é ruim para crianças e jovens em si. As crianças aprendem através do jogo se estão cavando na areia ou dominando uma linha de quebra-cabeça. Mas o computador não deve substituir outras brincadeiras e atividades, diz Bales, como brincar com blocos ou ler livros. 
Isso pode ser difícil porque as crianças tendem a ficar fascinadas com gadgets, as  conversas  a partir de uma tela de computador parece algo mágico para elas. É por isso que Bales recomenda que os pais estabelecem limites no tempo das crianças ao computador.
Em geral, especialistas recomendam limitar o tempo de tela, computador, TV, vídeo Game. Seria em torno de 1 hora por dia.


Além disso, Bales aponta, há uma abundância de má qualidade material online. 
"Afaste-se de atividades que exigem ação repetitiva e terminam quando um jogador comete um erro. Eles não darão às crianças muito controle ", diz ela. "Procure sites interativos, onde as crianças começarão a tomar decisões sobre o que fazer." Bales recomenda sites que oferecem oportunidades para ser criativo - para tirar uma foto ou escrever uma história, por exemplo. As crianças precisam de um bom conteúdo para deixar a sua imaginação assumir a liderança. Confira o site antes de passar aos seus filhos e jogue com eles. "A pesquisa mostra também que a aprendizagem através do uso de computador é mais eficaz quando é uma experiência social, é por isso que muitas escolas configurar estações de computador com duas cadeiras", diz Bales. 
As crianças pequenas não devem usar qualquer rede social. "Uma criança de cinco anos de idade, não tem um senso natural do que ela deve e não deve compartilhar", diz ela. "Se alguém perguntar seu nome, é provável que ela responda e outras informações também." 

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.