quinta-feira, 14 de abril de 2011

Mídia e negligência. Esse mundo é mesmo cruel com as crianças?


Fico pensando no que ocorre com a sociedade.

Vivemos momentos de terror ao acompanhar fatos que chocaram, não quero citá-los, pois basta de tragédia e todos já viram o que tinham que ver.

Creio que esse é o momento de reflexão. Devemos refletir sobre o que vale a pena e o que queremos.

São muitas interrogações e indignações.

Não admito em hipótese alguma qualquer maltrato com crianças.

Por que maltratar uma criança tão dependente, que não sabe como se defender? O adulto que deve ser referência de afeto?

Não refiro apenas aos maus tratos físicos, há também o mau trato relacionado à mídia e a negligência.

Acredito que a mídia é um grande aliado aos maus tratos contra criança. Pois a cada dia presenciamos a qualidade da programação cair.

Lembro da infância e me recordo:

Família que senta à mesa na hora do jantar e depois assiste a novela.

Não havia vilões se dando bem por matar, roubar e enganar. Todos torciam e esperavam que esse vilão pagasse (bem caro) por seus atos.

Não havia prostitutas sendo tratadas como celebridades e tendo a sua história divulgada como lição de superação e vida.

Não havia fotos de assassino de crianças no telejornal.

Os programas infantis eram educativos, brasileiros (faziam parte do meu mundo, tornando-o cada vez mais significativo), havia realmente Um Programa de TV e não pedacinhos de uma programação recheada de propagandas do estilo: - Eu quero e tenho que ter. Mãe compra?

Que valores a mídia passa para as crianças?

O ruim se dá bem no final, não preciso de emprego digno para ganhar bem ao final de mês, eu quero todos esses brinquedos e itens da moda para ser feliz.

(???)

A negligência também é grande aliada aos maus tratos contra crianças, é um tipo de agressão freqüente e apresenta dificuldade para ser definida.

Não me refiro apenas à negligência física: subnutrição, alterações no desenvolvimento, descaso com a saúde, ferimentos por falta de supervisão, falta de higiene.

Existe a negligência emocional, é o abuso psicológico, onde ocorre a deterioração do ambiente interpessoal da casa. É a falta de responsabilidade na predeterminação no trato com a criança, especialmente no plano disciplinar.

Os maus tratos tanto físicos ou psicológicos incluem conseqüências emocionais que podem ser bastante graves e persistirem ao longo do tempo, ou mesmo, por toda a vida.
O reflexo de sofrer abusos físicos normalmente se manifesta em 2 extremos:


  • Agressividade – briga nos esportes ou com os colegas.
  • Personalidade acolhida – medo no contato com os adultos, que aparece também como uma dificuldade em lidar com figuras de autoridade e professores.


Conflitos familiares e de casal podem deixar o ambiente mais propício para afetar o lado emocional e psicológico da criança.

Vivenciar situações de brigas, stress, medo... Influencia na vida adulta.

Depressão, transtornos alimentares, maior suscetibilidade ao abuso de drogas, comportamento sexual de riscos, condutas de trabalho ineficientes e relações sociais baseadas na violência.

Devido à esses maus tratos, a criança leva consigo sérias consequências, tornando-se um adulto com problemas que não só afetará o seio familiar e sim a sociedade.

Citei Mídia e Negligência, pois são faces da mesma moeda.

Como já disse em posts anteriores, existe criança que fica mais tempo em frente a TV e propícia a tudo que ela “fala” do que com os pais. Esse é um tipo de negligência.

Não devemos deixar que a mídia influencie nossas crianças. É preciso repassar valores e na minha opinião, VALORES SÉRIOS E MORAIS.

Se fez o mau à alguém tem que pagar.

Não há emprego melhor, que o emprego digno.

Sobreviver com o que se tem, agradecendo e de forma feliz.

Se valorizar.

O Amor é a principal chave para transformar o mundo.


  • Amor a si mesmo – quem se ama não aceita que o outro faça mau a ele.
  • Amor ao próximo – respeito com o semelhante, não querer para os outros o que não quer para si mesmo. 
  • Amor à saúde física e mental dos filhos - para que cresçam em um ambiente de valores e respeito. Só assim é possível que a criança se torne um adulto capaz de atuar positivamente em sociedade.
  • Amor à natureza – Amando a natureza, você a preserva.


Esse é o meu desabafo contra tudo que ocorre nessa sociedade, creio que a sociedade está se conscientizando de que é preciso cuidar de nossas crianças.

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.