quarta-feira, 6 de abril de 2011

Tea for Two

Estou encantada com esse ensaio. Não vejo a hora de ter uma filha para fazer um assim hehehe
Enquanto a minha não vem, divido com as mamães aqui.












Quem fez
http://threenailsphotography.com/

Selinho

EEEEE ganhei esse de um blog que adoro "Eu tamanho família".

As regrinhas:
O blog que receber também pode passar à outros. Este selo veio com uma regra, tenho que dizer 7 curiosidades sobre mim.

1) Amo sorvete de pistache
2) Estava escutando música indiana
3) Já deixei de sair porque estava com preguiça de passar chapinha no cabelo rsrs
4) Odeio muvuca
5) Adoro Disney Channel
6) Não gosto de comida congelada
7) Amo dormir

Deixo esse selinho para os blog que eu adoro!!! Vou avisá-las.

Um beijo!!!

Você está terceirizando a Educação de seus filhos?


Você faz isso com a educação de seus filhos? Transfere as funções maternas para outras pessoas?

É impressionante ir ao shopping, ao restaurante, à qualquer lugar e ver crianças com os pais e COM BABÁS.

Por que é preciso tantas pessoas para cuidar de uma criança?

Os pais não conseguem cuidar de seus filhos sozinhos? Por que tiveram filhos? Por que é preciso a presença de mais uma pessoa para ficar com essa criança?

Quando a criança não está com a babá, está na escola em período integral. Mas, qual é o horário que essa criança fica com a família? SOMENTE com a família?

Eu falo muito em vínculos com a família, pois é a família que nos fortalece para enfrentar o mundo e só temos essa coragem e força para enfrentá-lo se soubermos que temos para onde voltar e repor as energias.

O vínculo deve ser criado desde a gestação, com a mãe e com o pai.

Não sou contra babás e nem escola em período integral.
Hoje as mulheres conquistaram o seu espaço e tem muito mais a conquistar, o tempo é curto, a vida é corrida. Porém eu acho um absurdo colocar a culpa no tempo para não ficar com os filhos. E quando há o tempo livre de passear, assistir uma peça no teatro infantil, parques, etc. eu acredito que não é preciso a presença de babá.

É fundamental para o crescimento de uma criança saber se comportar em locais públicos. Cabe aos PAIS dar essa educação.

Eu torço mesmo o nariz quando vejo uma criança aos berros em um restaurante ou no shopping, acho um absurdo. Nunca fiz isso com os meus pais, tudo era conversado e combinado antes de sair de casa e eu sabia que a qualquer sinal de birra, seria casa na mesma hora, não ia correr o risco de perder o passeio e ficar sem passear no próximo fim de semana, porque ficava mesmo em casa. Criança sabe onde pisa!

Não estou fugindo do assunto, abordei a birra, pois a falta de tempo faz muitos pais acreditar que pode suprir essa falta com presentes e se a criança sabe que berrando ela consegue... pronto, acabou com o sossego de todos que querem ter um almoço em paz.

Será que esse pai e essa mãe da criança birrenta olham bem em seus olhos e com firmeza diz:

- Vamos embora agora porque não estou gostando disso!

Será que conversam com essa criança depois? Falam sobre limites? Deixam esse assunto para a babá conversar ou pedem à babá para sair daquele local com a criança, sem explicar o porquê, deixando os pais livres da situação.

A criança está rodeada de adultos, mas nenhum coloca limites, não dá o afeto necessário, a criança acha que pode tudo e não sabe como se comportar.

No Brasil a Educação terceirizada pode ocorrer em qualquer classe social, não estou me referindo somente às classes altas.

Já presenciei mães que deixam a Educação de seus filhos com as avós, creche e até mesmo babás, pois hoje em dia, existem pessoas que cuidam das crianças por preços acessíveis às essas mães.

Na escola ocorre o mesmo, a escola tem o papel social de passar Educação Formal, inclusive na Educação Infantil, acaba tendo seu conteúdo prejudicado por causa da Educação terceirizada.

Um exemplo:

- Professora, não deixa o meu filho se sujar.

- Professora, ele bateu no irmão em casa, conversa com ele.

- Professora, ele teve um sonho horrível, mas não tive tempo de explicar que era de mentira.

- Professora, hoje preciso sair mais tarde do trabalho, você pode ficar um pouquinho mais tarde aqui com ele?

Opa! Esse também é o trabalho da Professora e tem seu  horário de saída.

Pode não parecer, mas coisas assim atrapalham o conteúdo. Não quer dizer que o professor não irá conversar, sempre digo que o trabalho entre escola e pais deve ser feito em parceria.

Mas parar uma atividade de arte ou na areia porque uma criança não pode se sujar, pode não parecer, mas atrapalha a aula que o Professor planejou e o desenvolvimento de outras crianças que também estão na classe para aprender.

Trabalhei em uma escola que a diretora tirou a hora do  banho dos alunos, o banho era dado somente para alunos de berçário, após a criança completar 2 anos de idade não poderia tomar banho na escola, a não ser em casos extras.
Não recrimino a atitude dela, pois as crianças entravam na escola às 7h da manhã e saíam às 20h, já alimentadas e de banho tomado.
Isso é ótimo!
Não, não é ótimo!
Pois no outro dia a criança chegava à escola com a mesma roupa, algumas dormiam no carro e nem interagiam com os pais.
É tarefa dos pais abraçar, beijar, conversar, interagir, perguntar como foi o dia (mesmo as crianças menores), ajudar no dever de casa.

E o dever de casa é um problema.
Causa até choros na sala de aula.
Pois as crianças adoram fazer o dever de casa, sabia?
Vão contentes para casa levando a lição, elas querem a ajuda dos pais, querem mostrar o que aprenderam, desejam a aprovação, mas muitos pais não ajudam.
Imagina uma classe onde 5 alunos fazem a lição de casa e 20 não fazem.
Esses 5 alunos colocam a lição na mesa da professora com muito cuidado e satisfação, orgulhosos esperando um carimbo com a carinha feliz.
A professora precisa corrigir e dividir com os alunos o que foi realizado em casa.
Os outros alunos que não retornam com a lição feita em casa ficam tristes, pedem desculpas à professora, inventam uma desculpa (comecinho das desculpas), ficam com de cabecinha baixa.
Eles são pequenos, queriam fazer a lição de casa, a ajuda dos pais nesse momento será decisiva, pois eles vão crescer e se não houve em o estímulo, não tem porque a criança permanecer com vontade de fazer lição mais tarde.

Hoje a criança recebe mais atenção da TV, do vídeo game, da internet e de outras pessoas que não são os pais.
A TV a cada dia invade o universo infantil com centenas de produtos que incentivam ao consumo, o vídeo game tem jogos cada vez mais violentos e competitivos, a internet tem armadilhas perigosas com informações equivocadas e outras pessoas têm valores e costumes que não pertencem aos valores dos pais.

Estamos presenciando tanto o distanciamento das famílias, que mesmo em casa, se mantêm distantes, cada um em seu mundo.

É melhor deixar que a TV ou a babá fale mais com os seus filhos do que os pais?


A babá, a professora, a cuidadora, são profissionais que cedo ou tarde podem trocar de emprego, por mais cuidadosas e atenciosas que sejam.

Quem deve passar os limites e os valores são os pais. Os pais que decidiram colocar um ser humano no mundo e cabe à eles toda a responsabilidade com a sua educação.

Filhos não prendem os pais de terem uma vida social, continuarem a trabalhar, fazer um curso sonhado, viajar, etc., mas é preciso medir as conseqüências, pois a criança precisa dos pais por perto, a Educação deve ser levada a sério e com competência.

Muitas mulheres temem em ser criticadas por optar ficar em casa cuidando dos filhos. Já vi mulheres criticando mulheres (amiga que critica amiga e até mesmo irmã que critica irmã).

- Ela não faz nada, ela não trabalha.

Não estou propondo que todas as mulheres parem de trabalhar para ficar em casa. É preciso conscientização do papel de mãe.

O texto a seguir foi retirado do Livro Emílio ou Da Educação de Jacques Rousseau. Há muito tempo já era discutida a Terceirização da Educação.
"De onde vem esse hábito insensato? De um costume anti-natural. Desde que as mães, desprezando seu principal dever, não mais quiseram amamentar os filhos, foi preciso confiá-los a mulheres mercenárias que, vendo-se assim mães de filhos estranhos e não sentindo o apelo da natureza, não se preocuparam senão com poupar trabalho. Fora necessário vigiar sem cessar uma criança em liberdade, mas estando ela bem amarrada basta jogá-la num canto sem se incomodar com os gritos. Desde que não haja provas da negligência da ama, desde que o bebê não quebre o braço ou a perna, que importa afinal que morra aleijado para o resto da vida? Conserva-se seus membros a expensas de seu corpo e a ama é desculpada, aconteça o que acontecer.

ROUSSEAU, J.J. 1762. Emílio ou da Educação. Ed. Difel, Rio de Janeiro, 1979, pg. 18-19


Não é preciso ficar 24 horas ao lado do filho para ser presente. É preciso conscientizar-se da responsabilidade paterna e materna. Os limites, os valores cabem aos pais.

Esses dias vi uma publicação do site da Revista Crescer, eu adoro a revista, mas achei desnecessário fazer esse alarde para algo tão simples.
Victoria Beckham briga com os filhos durante jogo de futebol do marido

Os garotos começaram a brigar e até puxaram o cabelo um do outro. Pela careta da estilista, a bronca foi “daquelas”...

Qual a mãe que não briga com os filhos?
O que há de diferente nisso?
Irmãos não brigam?
É estranho ver uma mãe famosa brigando com os filhos? Não vejo nada de estranho, o estranho seria se ela não brigasse.
Será que acharam estranho o fato dela estar brigando e não uma babá? Por ser uma celebridade teria que estar longe dos filhos?

Delegar a Educação à babá, professora, etc. é erro, pois ela não saberá dizer não, por temer perder o emprego ou por não saber se o não é realmente necessário. Quem sabe são os pais, são eles que sabem o que querem para os seus filhos e como querem educá-los.

Cupcakes de Páscoa - Faça você mesmo

Entre no clima da Páscoa!!!

Não é preciso centenas de ovos de páscoa, uma idéia simples pode deixar tudo divertido e sem gastar tanto.

Adorei essa idéia. Fica lindo para presentear também.


Quer saber como faz?

Faça os cupcakes, quem quiser a receita me envia um email ou eu posto aqui.

Quando os cupcakes estiverem prontos e frios é a hora de decorá-los.
A cabecinha do coelho pode ser feita de glacê real. Existe um pó que basta adicionar água e bater na batedeira, o bom do glacê real é que ele endurece e não derrete, fica como um "açúcar bem fininho”.
Quando chegar ao ponto correto, coloque o glacê real em um saco de confeitar e molde a cabecinha do coelho. É só fazer um movimento de caracol.

O olhinho e o narizinho podem ser feitos com o próprio glacê real tingindo com tinta comestível, observe que é somente bolinhas.
Você tem a opção de usar balinhas para fazer o olhinho e o narizinho.

A mesma dica vale para os pézinhos e o rabinho.

O wrap que envolve o cupcake você encontra em qualquer loja de confeitaria.

Para prender as orelhinhas, em um palito de sorvete, cole a parte de trás da orelhinha, fixe no meio do glacê real antes de endurecer.

Sugestões de lojas para encontrar  o que precisa
Chocolândia
Bondinho
Barra Doce
Arte nostra

Foto do Glacê real


Clique aqui e baixe o printable para fazer as orelhinhas e as bandeirinhas.
EEEEE Free Printables

Bandeirinhas e Orelhinhas

Divirtam-se!

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.