sexta-feira, 18 de março de 2011

Ótimo Final de Semana!

Depressão pós parto

Todos ao seu redor dizem que este deve ser o momento mais feliz de sua vida e você se sente culpada por sentir-se tão triste, tão exausta, tão incapaz de tomar conta de seu bebê?

Desde pequena a mulher aprende que a circunstância de ser mãe lhe deverá trazer total plenitude e felicidade. E como ela fará para expressar o seu mal estar?

O que é?
Depois do parto cerca de 60% das mulheres choram com freqüência e sente melancolia, esses sintomas são comuns devido às alterações hormonais 40% a 60% após o parto e geralmente desaparecem em quatro semanas.
Mas a depressão pós parto é diferente, se manifesta após o 1° mês do parto. É um transtorno psico.
A mulher não sente alegria em qualquer cenário por mais belo que seja. Não demonstra nenhum prazer na amamentação, que pode se sentir desconfortável e inábil ao fazê-lo, e no cuidado com a criança.
A falta de repouso, sono interrompido, cuidados com a casa e os outros filhos, que por vezes sentem ciúmes com o novo bebê, traz irritação, ansiedade, culpa, choro, exaustão, ansiedade, insegurança em relação à aparência e até a sensação de que na vale a pena viver.
Como em qualquer tipo de depressão há diferentes níveis e nos casos mais graves, principalmente as mães que têm o primeiro filho, sentem que não vão dar conta. A mãe pode chegar a ficar indiferente com o bebê.

Papel do pai e da família
O papel do pai é fundamental nessa hora, pois o bebê sente o abandono da mãe e se sentir o abandono do pai, pode gerar conseqüências emocionais muitas vezes sérias.
Em relação à mãe é preciso que o pai tenha uma compreensão do problema que consiga identificá-lo, entenda o porquê a mãe está agindo de dessa forma, que não é uma má mãe e sim está passando por uma dificuldade.
A família é fundamental para a divisão de tarefas.

O que fazer?
Ter a consciência que a culpa não é sua, é um transtorno que precisa ser cuidado por meio de tratamentos e você não está triste por causa do bebê, apenas não está sabendo lidar com as emoções diante de uma nova situação.
Demonstrar ao marido e à família para que tome conhecimento, encaminhamento à psicoterapia que podem ser consultas individuais, casal ou com alguém da família. Em alguns casos é preciso medicação.

Fatores
Não é uma regra, mas os fatores que podem pré dispor a depressão pós parto são quando a mãe teve histórico de depressão em sua família ou ela mesma, não tem um bom relacionamento com o pai da criança, problemas financeiros, gravidez indesejada, despreparo emocional, preocupação com a aparência, perda da liberdade, falta de apoio da família.

Prevenção e superação
Não como prevenir a depressão pós parto, as mulheres que recebem muito apoio durante a gravidez tem mais chances de viver a maternidade com alegria.
Ignore algumas pessoas que não te fazem bem, não é hora para fazer “o social”, cerque-se de pessoas que você adora ficar perto, que te faz se sentir bem.
A depressão pós parto não é fácil, mas deve ser superado.

Mamãe conte suas experiências para nós!

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.