quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Voltando às aulas com estilo bem alegre

Mochilas

Amei esse maquinho, é a minha mochila favorita.
Adorei o bolsinho da frente dessa mochila, é a barriguinha do animal.

As perninhas e as orelhinhas para fora fizeram o charme

Esse cachorrinho é um clássico que nunca sairá de moda

Lancheiras

Essa corujinha com carinha de bravinha está um luxo
Divertido, educativo e ótimo para guardar
Ah, essa eu quero pra mim, olha que fofa essa lancheira
Colocando ordem na casa
Juntando alguns módulos dá para fazer igual ou melhor. Vamos colocar a imaginação para funcionar?
Adorei essa mesinha. A criança pode sentar no chão, no sofá, na cama e seve de bandeja também. Perfeitinha a idéia.
Organizadores para quem tem filhos nunca é demais
O que mais gostei nesses itens foram a ausência de personagens e temas.
Em um mundo de Mickey, Princesas, Ben 10, Sininho, Barbie, etc. surgem os animais de maneira bem humorada para resgatar a simplicidade da infância.
Ameiiii!!!

É tudo daqui
É gringo, mas vale a idéia.
Tem desses aqui no Brasil e em sua cidade. Com certeza você acha alguns bem mais bonitos.

5° post da série - Escola: Como preparar a criança para o seu primeiro dia de aula?

Tchau Férias e Volta às aulas!

 Mas e as crianças que nunca frequentaram a escola?
Não poderão ficar sempre em casa.
E como preparar o seu filho para o seu primeiro dia de aula? 
Para pais e filhos este é um momento que gera várias dúvidas e aquele friozinho na barriga persiste.

 Eu como professora tive que me preparar diversas vezes fisicamente e psicologicamente para o primeiro dia de aula.

 Quando era o primeiro dia de aula de alunos que já estavam na escola, o clima era bem mais calmo, de alegria e muitas vezes de muito sono das crianças. Acertar o nosso ponteirinho não é fácil, rs.

 Como as crianças mudam nas férias, não? rs

Lembro dos primeiros dias de aula das crianças de 2 anos.
Semana de muito choro, muita ansiedade, não só para as crianças, mas os professores ficam inseguros também.
Alguns pais atrapalham nesse processo de adaptação. Não preparam o filho e ao chegar à escola passam uma enorme ansiedade, chegando até chorar na frente dele.
As crianças são muito sensíveis e percebem como a mãe está se sentindo, isso reflete nas suas reações.
O que a criança vai imaginar ao ver a mãe chorando?
Que a escola é péssima, que é um local ruim, é um castigo, que a mãe não a quer mais por perto, fazendo a criança sofrer com tudo isso.
Sei que é difícil deixar a criança tão pequena na escola com pessoas que você nunca viu e não tem convívio, mas isso faz parte da vida, do crescimento e é preciso ser aceito da melhor maneira possível.
A separação é um processo doloroso tanto para os pais como para os filhos, mas a "dor" é superada em pouco tempo.
Os pais devem preparar os filhos para o primeiro dia de aula.
Claro que há crianças que se adaptam com grande facilidade e encaram a ida para a escola com enorme entusiasmo.

Para que o primeiro dia de aula não seja tão traumático, o ideal é que a mãe comece a se preparar com pelo menos 10 ou 15 dias de antecedência.

  • Conversar com o filho sobre o que é a escola, porém evite longas explicações, pois isso pode despertar suspeitas e insegurança.
  • Leve-o para visitar o local antes do início das aulas.
  • Assistam juntos vídeos e desenhos com os seus personagens favoritos em situações e episódios que estão na escola.
  • Faça tudo sempre com entusiasmo. Demonstre alegria ao falar do assunto.
  • É hora de pensar nos horários e aos poucos voltar ao ritmo normal. Não deixe que o seu filho coma e durma fora dos horários que serão na escola, é preciso criar o hábito e a rotina que terá na escola.
  • Leve - o para comprar algum material da escola, deixe que escolha alguma coisa do personagem favorito. Mas deixe-o em casa quando for comprar todos os itens da lista de material escolar, o seu orçamento agradece.
  • Durante esse período de novidade, alguns cuidados devem ser tomados como: troca recente de residência, retirada de chupeta ou fraldas, troca de mobília do quarto da criança.
  • Não se assuste com o choro da criança, pois será frequente nos primeiros dias. Evite pegá-lo sempre no colo quando chorar e evite a invasão à sala de aula sem ser chamada. A sua presença dificultará a compreensão da separação, fará as outras crianças cobrarem a presença de suas mães. Evite o show de choros, nesses dias quando uma criança chora, todas choram.
  • Evite que o educador retire a criança do seu colo. Cabe a você colocá-lo ao chão e explicar que precisa ficar alí. A criança deve ser levada pelo educador andando.
  • Poderão ocorrer algumas regressões de comportamento durante o período de adaptação, assim como alguns sintomas psicossomáticos (febre, vômitos etc.)
  • A adaptação das crianças de período integral inicialmente deve ser feita em um turno (manhã ou tarde).
  • Os pais devem despedir-se naturalmente e nunca sair escondido.
  • É muito importante se consciêntizar que cada criança é única e que cada período de adaptação será também único e individual. Não faça comparações entre a adaptação de coleguinhas ou irmãos.
  • A pontualidade deve ser estimulada. Respeite os horários de entrada e saída da escola. Como também não facilite faltas, a presença da criança na escola é fundamental para que participe de todas as atividades de adaptação e comece a criar vínculos com colegas e professores.
  • Quando a criança estiver adaptada, gostando dos colegas e tendo como ídolo a professora, evite demonstrar ciúmes, é importante que a criança admire sua Professora, pois é com ela que passará grande parte do seu dia.
  • Acima de tudo, lembre-se que a escola é também um local de trabalho.


Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.