sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

3° Post da série - Escola: Creche - Critérios de atendimento

Critérios para um Atendimento em Creches que Respeita os Direitos Fundamentais da Criança.

Existe um texto que auxilia Pais, Educadores e a Instituição de Educação a avaliar se o trabalho realizado neste local respeita os direitos das crianças.
Confira esse texto e fique por dentro do que não pode faltar.


Autoria:

Na maior parte das creches, as crianças permanecem em tempo integral, voltando para suas casas diariamente.
A creche, assim, caracteriza-se, quase sempre, pela presença de crianças menores de 4 anos e pelas longas horas que ali permanecem diariamente.
 Os pressupostos do documento baseiam-se em três áreas de conhecimento e ação: dados sistematizados e não sistematizados sobre a realidade vivida no cotidiano da maioria das creches brasileiras que atendem a criança pequena pobre; o estado do conhecimento sobre o desenvolvimento infantil em contextos alternativos à família, no Brasil e em países mais desenvolvidos, que vem trazendo contribuições importantes para o entendimento do significado das interações e das vivências da criança pequena e o papel que desempenham em seu desenvolvimento psicológico, físico, social e cultural; discussões nacionais e internacionais sobre os direitos das crianças e a qualidade dos serviços voltados para a população infantil.
Alguns Critérios para unidade creche
  • Nossas crianças têm direito a um ambiente aconchegante, seguro e estimulante.
  • Nossas crianças têm direito a uma alimentação sadia.
  • Nossas crianças têm direito a desenvolver sua identidade cultural, racial e religiosa
  • As rotinas da creche são flexíveis e reservam períodos longos para as brincadeiras livres das crianças.
  • As meninas também participam de jogos que desenvolvem os movimentos amplos: correr, jogar, pular.
  • Nossas crianças têm direito à atenção individual
  • O diálogo aberto e contínuo com os pais nos ajuda a responder às necessidades individuais da criança.
  • Aprendemos a lidar com crianças mais agitadas e ativas sem discriminálas ou puní-las.
  • Evitamos usar e que as crianças usem apelidos que discriminem outras crianças.
  • Mantemos fora do alcance das crianças produtos potencialmente perigosos.
  • As crianças têm direito a lugares adequados para seu descanso e sono.
  • Nossas crianças têm direito ao sol.
  • Nossas crianças têm direito de brincar com água.
  • Nossas crianças têm oportunidade de brincar com areia, argila, pedrinhas, gravetos e outros elementos da natureza.
  • Nossas crianças aprendem a observar, amar e preservar a natureza.
  • Nossas crianças aprendem a cuidar de si próprias e assumir responsabilidades em relação à sua higiene e saúde.
  • Nossas crianças aprendem a cuidar de si próprias e assumir responsabilidades em relação à sua higiene e saúde.
  • Nossas crianças têm direito a um ambiente tranqüilo e agradável para suas refeições.
  • Planejamos alimentos apropriados para as crianças de diferentes idades.
  • Nossa despensa é limpa, arejada e organizada.
  • Valorizamos o momento da mamadeira, segurando no colo os bebês e demonstrando carinho para com eles.
  • Valorizamos nossas crianças quando tentam expressar seus pensamentos, fantasias e lembranças.
  • Nossas crianças têm direito de cantar e dançar.
  • Nossas crianças têm livre acesso a livros de história, mesmo quando ainda não sabem ler.
  • Nossas crianças não são obrigadas a suportar longos períodos de espera.
  • Os bebês não são esquecidos no berço.
  • Os bebês têm direito de engatinhar.
Na íntegra clique aqui

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.