terça-feira, 9 de novembro de 2010

Sweet 16 Birthday Party

Idéias e mais idéias!!!
Quanto mais vejo idéias de festas "faça você mesmo", mais interessante fica o aniversário.

Confira nesse Slideshow  e nas fotos abaixo.







Essa mesma decoração pode ser usada para qualquer festa e aniversário de meninas!!!
Aproveite!!

Bolsas e sacolas descoladas para mamãe levar tudo do baby

Imaginei um passeio no parque, na casa da vovó, ida ao mercadinho e até mesmo uma manhã na praia.

Clique aqui e veja mais fofurices

África - Não é um país e sim um continente

Isso parece óbvio, mas não é. Muitos falam do continente como se fosse uma região homogênea habitada por um único povo

Os diversos povos que habitavam o continente africano, muito antes da colonização feita pelos europeus, eram bambambãs em várias áreas: eles dominavam técnicas de agricultura, mineração, ourivesaria e metalurgia; usavam sistemas matemáticos elaboradíssimos para não bagunçar a contabilidade do comércio de mercadorias; e tinham conhecimentos de astronomia e de medicina que serviram de base para a ciência moderna. A biblioteca de Tumbuctu, em Mali, reunia mais de 20 mil livros, que ainda hoje deixariam encabulados muitos pesquisadores de beca que se dedicam aos estudos da cultura negra.


Infelizmente, a imagem que se tem da África e de seus descendentes não é relacionada com produção intelectual nem com tecnologia. Ela descamba para crianças famintas e famílias miseráveis, povos doentes e em guerra ou paisagens de safáris e mulheres de cangas coloridas. "Essas idéias distorcidas desqualificam a cultura negra e acentuam o preconceito, do qual 45% de nossa população é vítima", afirma Glória Moura, coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade de Brasília (UnB).

Ao trabalhar com o Tema África, percebo que muitas crianças relacionam com os animais da selva ou apenas terra de famintos.
É função da escola trabalhar  e esclarecer, em todos os aspectos, o continente Africano. O pouco caso com a cultura africana se reflete na sala de aula. O segundo maior continente do planeta aparece em livros didáticos somente quando o tema é escravidão, deixando capenga a noção de diversidade de nosso povo e minimizando a importância dos afro-descendentes.
O ensino de História sempre privilegiou as civilizações que viveram em torno do Mar Mediterrâneo. O Egito estava entre elas, mas raramente é relacionado à África, tanto que, junto com outros países do norte do continente, pertence à chamada África Branca, termo que despreza os povos negros que ali viveram antes das invasões dos persas, gregos e romanos.
A África já existia antes dos europeus,  o continente africano era dividido em reinos antes da chegada dos europeus.
Alguns historiadores dizem que os habitantes desses reinos eram hospitaleiros, davam abrigo e alimento para outras pessoas que viajavam por alí. Muitas vezes abrigavam o próprio inimigo.
O reino do Congo, por exemplo, era dividido em aldeias familiares, distritos e províncias e todos os governadores eram conselheiros do rei. No império de Gana, os monarcas se reuniam todos os dias com os súditos para papear, ouvir reclamações e tomar decisões.
Os povos sabiam ler, escrever e viviam em cidades desenvolvidas.


Os pais podem ajudar e enriquecer ainda mais esse estudo.
Livre-se de todo e qualquer preconceito ao falar da África. Não relacione a cultura negra somente ao samba, comidas típicas, festas, etc.
Não deixa de ser importante, mas a África tem muito mais cultura do que é apenas apresentado.

Fonte: Revista Nova Escola

Festa de Bebê

Adorei essa festinha por ser adequada para um aniversário de 1 aninho.
Muitos pais se preocupam com diversos artifícios para o 1° aniversário de seus filhos, mas esquecem-se de fazer algo adequado para a idade.
O 1° aniversário de um filho é motivo de muita comemoração, porém para a criança, não importa o tamando da comemoração, o  importante é celebrar.
A criança com 1 ano de idade não está preparada para receber muitas pessoas, realizar diversas atividades e ainda não entende o que faz parte de seu mundo.
O bebê acredita que o mundo gira em torno dele, é a fase do egocentrismo. O que uma criança dessa idade gosta é atenção individual, que brincar com as pessoas que está acostumada e o seu passatempo é fazer os pais darem risada.

Horário: Após a sonequinha da tarde de seu filho, algo em torno de 15h, dependendo da rotina da criança. O ideal é que não dure muito tempo, o ideal são 3 horas.

Tema: Os pais ainda têm o privilégio de escolher o tema. O bom seria um tema neutro ou apenas trabalhar as cores, como está acima.
Circo, Floresta, Ursinhos são temas ideais.

Recreação: Nessa idade não é necessário contratar recreadores, a não ser que seus amigos tenham filhos mais velhos. Para os bebês é ideal montar um tapete de EVA, com alguns brinquedos especiais para bebês nessa faixa etária.

O que servir: Sanduíches simples, fáceis de morder e tamanho pequeno. Procure não colocar salgados muito gordurosos, invista no pão de queijo.
Evite refrigerante, suco natural, água de coco e água é melhor.

Lembrancinhas: Livrinhos infantis de feltro, eva, etc. Copos infantis ou cupcakes para levar p/ casa.

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.