quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Folclore, muito além do saci



Não é possível pensar em Educação sem pensar em Sociedade.
Folclore é o conjunto de todas as tradições, lendas e crenças de um país. O folclore pode ser percebido na alimentação, linguagem, artesanato, religiosidade e vestimentas de uma nação.
O folclore é o modo que um povo tem para compreender o mundo em que vive. Conhecendo o folclore de um País, podemos compreender o seu povo. E assim conhecemos, ao mesmo tempo, parte de sua História. Mas para que um certo costume seja realmente considerado folclore, é preciso que este seja praticado por um grande número de pessoas e que também tenha origem anônima.
O folclore brasileiro, um dos mais ricos do mundo, formou-se ao longo dos anos principalmente por índios, brancos e negros. Nossa cultura é uma mistura das culturas indígenas, portuguesa e africana. Sem falar em tudo o que foi criado por aqui mesmo. Isso faz com que o folclore brasileiro seja riquíssimo!


Todos sabemos que Mula sem Cabeça, Curupira, Chupa Cabra, lobisomem, fazem parte do folclore brasileiro.
Quem tem filhos sabe que nessa época eles voltam da escola vestidos de sacis, a grande maioria.
Não é que eu seja contra as crianças se vestirem de sacis e pintarem a mula sem cabeça no papel, mas o grande problema, que eu vejo, nas escolas é as crianças aprenderem sobre datas comemorativas fazendo só isso.
Pintam, se vestem, cantam, mas o conceito e a vivência não existem.
A Educação precisa ser vivida, despertar a curiosidade para o interesse de aprender e só aprende vivendo, com a ação do aluno.
Sem ação não há aprendizagem, cabe recordar o provérbio chinês: "se ouço, esqueço; se vejo, recordo; se faço aprendo". Todo conhecimento procede da ação.
Então, apenas um desenho à colorir ou um chapéu na cabeça não levará a criança à entender o folclore.
Folclore é uma data para comemomar as nossas raízes, é de extrema importância a criança aprender a valorizar a cultura de seu país.

Em todas as épocas do ano, com os meus alunos, eu incentivava às Parlendas.
As Parlendas apresentam-se como recurso para a leitura “lúdica” e para a introdução da criança no mundo da leitura. As parlendas contêm, de certa forma, um enunciado lúdico pedagógico pela sua forma, ritmo, desenvolvendo o aspecto psicossocial da criança, pois a sua linguagem é simples e atraente. Em contato com as parlendas, a criança poderá dar os primeiros passos para a comunicação verbal. Coloca a criança em contato com o saber popular, esse popular que muitas vezes é imprescindível no avanço da Literatura Infantil.
Elas fazem parte do folclore brasileiro, pois representam uma importante tradição cultural do nosso povo.

Algumas parlendas populares para brincar e desenvolver com os pequenos:
Hoje é Domingo,
pede cachimbo
O cachimbo é de ouro,
Bate no touro,
O touro é valente,
Bate na gente,
A gente é fraco,
Cai no buraco,
O buraco é fundo,
acabou-se o mundo.





--------------------------------------------------------------------------------
Um, dois, feijão com arroz
Três, quatro, feijão no prato
Cinco, seis, falar inglês
Sete, oito, comer biscoito
Nove, dez, comer pastéis
--------------------------------------------------------------------------------
Dedo Mindinho
Seu vizinho
Pai de todos
Fura bolo
Mata piolho


--------------------------------------------------------------------------------
Lá em cima do piano tem um copo de veneno
Quem bebeu morreu
O culpado não fui
EU



Olha como o Brasil é rico, você pode enriquecer ainda mais o conhecimento do seu filho ou aluno.

Você costuma...

- Dar um susto em alguém para fazer o soluço passar?

- Desviar para não passar debaixo de uma escada?

- Ter medo do lobisomem em noite de Lua cheia?

- Comemorar o Carnaval?

- Comer milho verde na festa junina?

Então saiba que tudo isso é folclore!

Olha que legal também!
Alguns exemplos de:

Danças

Frevo (Pernambuco) – coreografias individuais, improvisadas e rápidas, acompanhada de uma sombrinha.
- Baião e Forró – dançado em salões ou terreiros, ao som da sanfona e o triângulo.
- Capoeira – jogo de ataque e defesa praticado em roda, acompanhado de ritmo, movimentos e instrumentos.

Festas populares

Folia de reis-

-Festa junina – dedicado a São João, Santo Antônio e São Pedro. Decorada com bandeirinhas, barracas e fogueiras. Tem quadrilhas, brincadeiras e comidas típicas.
- Folia de Reis – festa de caráter religioso, entre o Natal e o dia de Reis. Cantadores e músicos percorrem as ruas da cidade com cânticos bíblicos.
- Carnaval – festa popular trazida pelos portugueses .É festa de rua, com blocos, música, dança e fantasias.

Culinária

Feijoada


Pratos:
- feijoada
- feijão tropeiro
- baião-de-dois (
- buchada de bode
- sopa de jirimum com leite
- churrasco- comum no Sul do Brasil
-- macaxeira
- carne de sol
- arroz carreteiro

Artesanato


Renda- garrafa, objetos em madeira, palha, madeira
- rendas – roupas, lençois, toalhas, renda
- croché
- cerâmica
- couro
- retalhos
- fuxico

Brinquedos

Pião

- pião, finca, carrapeta ou pinhão
- pipa (ou papagaio)
- ioiô
- bolinhas de gude
- amarelinha
- passa anel
- Bola queimada
- brincadeira de roda

Não deixem de conferir as cantigas de roda da Palavra Cantada. Na minha opinião são os melhores em música infantil brasileira, por meio de músicas de altíssima qualidade, transmitem valores e enriquecem ainda mais o nosso folclore.

No dia 22 de agosto a Palavra Cantada estará no HSBC Brasil com o Show Brincadeiras Musicais, clique aqui e veja mais informações.


Fonte:

Arquivo pessoal
Q Divertido
Smartkids
Construir notícias

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.