quinta-feira, 22 de julho de 2010

Qual o melhor momento para a Criança aprender a ler ou outra língua?




O cérebro do bebê se desenvolve em um ritmo fenomenal, quase 90 % durante os primeiros cinco anos de vida!
A melhor e a mais fácil fase para aprender é quando o cérebro está criando milhares de sinapses, ou conexões, permitindo que a criança a aprenda a palavra escrita e palavra falada simultaneamente.
A prática de começar a ensinar as habilidades de leitura na escola é muito tarde e as crianças se beneficiam muito se começarem mais cedo porque, a criança tem, basicamente, uma janela natural para aprender a língua – do nascimento para cerca de quatro anos de idade. Durante este período é mais fácil para uma criança a aprender qualquer tipo de linguagem falada, incluindo a língua estrangeira e escrita.
Quem já ouviu falar em cultura herdada?
Depois escreverei sobre esse assunto, mas basicamente, seria a criança que vive em um ambiente estimulador em casa. Um ambiente em que ela veja os pais lerem, os pais se oferencem a ler para elas, tiram suas dúvidas e reservam esse tempo.
A cultura fará parte do ambiente delas. Claro que uma leitura que gera interesse na criança, de acordo com sua faixa etária.
Com o mundo globalizado e a necessidade cada vez maior de se falar outros idiomas, muitos pais questionam qual a melhor idade para seu filho aprender uma segunda língua.
Nosso cérebro tem uma capacidade imensa de adaptação e pode aprender qualquer idioma. Quanto mais cedo formos expostos a uma segunda língua melhor será nossa pronúncia e distinção dos fonemas.
“Primeiro, independente de qualquer estudo ou teoria, cada criança é uma criança. Por isso, os pais devem estar atentos para identificar se a criança está com dificuldades para aprender a língua materna” afirma Quézia Bombonatto, psicopedagoga e fonoaudióloga, presidente da ABPP (Associação Brasileira de Psicopedagogia).
A exposição da criança a mais de um idioma ao mesmo tempo aumenta o número de conexões cerebrais, ajuda na criatividade e raciocínio rápido. No entanto, alguns cuidados deverão ser tomados. Antes da fase de alfabetização, o contato com a língua deve ser feito somente em linguagem oral. Deve-se prestar bastante atenção na aquisição dos idiomas pela criança, sobretudo da língua materna. Se alguma dificuldade for observada é melhor priorizar apenas um deles.

O contato escrito com a segunda língua só deve ser feito após a alfabetização, quando a criança consegue lidar com todos os fonemas na escrita e já sabe lidar com os dígrafos sem confundi-los.
Estudos comprovam que quanto mais cedo uma criança aprende a ler, melhor o seu desempenho na escola e mais tarde na vida. Desenvolverão auto-estima e serão mais propensos a permanecer na escola.
Para o aprendizado de uma criança um recurso muito importante é o da repetição. Por estarem numa idade onde testam o mundo, os pequeninos precisam da repetição para acreditar que a informação que está sendo passada é confiável.
Em um painel nacional de leitura, especialistas e educadores determinaram que a maioria dos problemas de leitura do país poderiam ser eliminados se as crianças começassem a ler mais cedo.
Olha que vídeo legal, aprender com músicas é super divertido para nós adultos, para as crianças então...



Fonte:
Arquivo pessoal
Vila Filhos
The parenthing Magazine


Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.