segunda-feira, 19 de julho de 2010

Fralda estilosa



A Huggies está lançando no Brasil a primeira fralda Jeans. Na verdade é a mesma fralda branca, porém tem essa estampa fashion para os bebês arrasarem por aí.
O jeans é uma das peças mais democráticas do guarda roupa, os bebês não poderiam ficar de fora.

A fralda tem velcro macio abre e fecha, cintura elástica para se ajustar perfeitamente no bebê, formato confort baby (conforto de uma calcinha ou cuequinha), absorção máxima 12 horas de proteção e estampa de jeans.

A mamãe encontra nas principais redes de lojas. A edição é limitada, então corra para pegar a sua e tirar uma foto bem linda do primeiro jeans do seu bebê.

Cinematerna





A mamãe pode curtir um cineminha sem ter que deixar o bebê longe.

CineMaterna são sessões de cinema para mães com bebês de até 18 meses. Papais e acompanhantes são bem-vindos também! Os filmes são para a diversão dos adultos, e as salas de cinema são equipadas para acolher os bebês com todo o conforto: som reduzido, trocador na sala, ar condicionado mais suave, ambiente levemente iluminado. E depois de cada sessão sempre tem um gostoso bate-papo!

Os filmes são escolhidos pelo público através de enquetes e excluem filmes com violência explícita ou terror;

Após a sessão, o público é convidado a seguir para um café, onde acontecem animados bate-papos e muita interação!

Cadastre-se aqui para receber por email enquetes e votar nos filmes.

Fases de um bebê no CineMaterna

Fase 0 a 6 meses:
Maravilha! Dá para assistir um filme inteirinho. O bebê mama e dorme. Se acorda, fica fascinado com luzes, som e movimento. Fica quieto a maior parte do tempo, no colo. Dá um ou outro chorinho, facilmente contornável. Pode ter xilique, mas é raro.

Fase 6 a 12 meses:
Quando o bebê aprende a sentar, para muitos, é hora de migrar para o tapete EVA. Não é o lugar mais confortável do mundo, mas dá para assistir o filme. Com sorte, o bebê vai dormir em algum momento. Se engatinha, bom, mamãe vai dar umas voltinhas pela sala. A dica é relaxar e deixar o bebê explorar o território.

Fase 12 a 18 meses:
A mais desafiadora. Definitivamente, tapete EVA. Deixar o bebê "brincar" com outros, mesmo que ainda não sejam exatamente "delicados" na interação. Perde-se uma cena ou outra, mas dá para entender o filme.

Pipoca + cineminha com o amor da sua vida!!! Que delícia!

Anima mundi - 18° Festival Internacional de animação do Brasil


Um festival que visa informar, formar, educar e entreter utilizando as infinitas possibilidades da linguagem de animação.
Em 2010 o Anima Mundi celebra o seu 18° aniversário promovendo, além do festival anual no Rio de Janeiro e São Paulo, uma série de atividades que são refletidas nesse website.
O evento acontece no Rio de Janeiro de 16 a 25 de julho e depois vai para São Paulo, do dia 28 a 1º de agosto. Este ano o evento reúne 452 filmes. Além disso, pais e filhos podem se divertir nas oficinas gratuitas que ensinam os primeiros passos de variadas técnicas de animação.
Esta é a 18ª edição da festa, que teve recorde de inscritos: mais de 1,5 mil, segundo a organização. Da peneira, passaram 452 filmes, de diversos países, dos mais conhecidos na seara como EUA, Canadá, Alemanha, passando por Israel, Finlândia, Singapura e até a estreante Macedônia. Sem esquecer do Brasil, responsável pelo maior número de produções deste ano: 108 títulos

Stephen Hillenburg

Nascido em 1961, é o criador e produtor executivo de "Bob Esponja Calça Quadrada", da Nickelodeon - uma das séries de animação mais populares de todos os tempos, nomeada para o Emmy seis vezes desde 2002. Antes de virar animador, Stephen trabalhou como professor de ciências para crianças. Essa experiência mostrou a ele como as crianças são apaixonadas pela vida no fundo do mar e foi essencial para a criação de Bob Esponja e todos os seus amigos marinhos.

Guilherme Marcondes

Talento brasileiro da animação que se afirma no exterior, Guilherme Marcondes é diretor independente em Nova Iorque, representado pelos estúdios Hornet Inc. (EUA) e Passion Pictures (Europa), depois de uma temporada em Los Angeles na renomada produtora Motion Theory. Mesmo antes de se formar em Arquitetura pela Universidade de São Paulo, Guilherme já trabalhava como ilustrador profissional. Em 2000 se juntou como animador ao time da Lobo Filmes, onde por cinco anos dirigiu filmes para diversos clientes internacionais como Diesel, Panasonic e Cartoon Network. Em 2005 foi a Londres dirigir a campanha de lançamento do Europe Music Awards na MTV Networks. De volta ao Brasil, produziu o curta-metragem "Tyger" (2006), vencedor de mais de 20 prêmios internacionais, incluindo dois no festival de Clermont-Ferrand na França e o Prêmio dos Diretores do Anima Mundi.

Para conhecer mais, clique aqui

O beabá do Pensamento


Criança Pensa!
Criança escreve!
Criança desenha!
Criança Fala!
Criança Ouve!
Criança desenvolve!
Criança Cria!


Muitos estudiosos e pesquisadores têm trabalhado na tentativa de compreender a elaboração do pensamento do ser que aprende, por exemplo, como funciona o pensamento da criança quando está aprendendo a ler e escrever.
Jean Piaget 1869 - 1980
Piaget preocupou em explicar a maneira como a criança interage como mundo e com as pessoas para chegar ao conhecimento. Segundo pesquisas piagetianas, o conhecimento é construído na interação do sujeito com o objeto de aprendizagem. A criança se apodera de um conhecimento se "agir" sobre ele. Pois aprender é descobrir, inventar, modificar.





Emília Ferreiro - 1936. Emilia é hoje professora titular do Centro de Investigação e Estudos Avançados do Instituto Politécnico Nacional, da Cidade do México, onde mora.


Emília Ferreiro, discípula de Piaget, vem desenvolvendo teses sobre as hipóteses de pensamento que a criança pode apresentar a respeito da linguagem escrita. Ela não propõe uma "nova pedagogia" ou "um novo método", mas suas pesquisas deixam claro que o que leva o aprendiz à reconstrução do código lingüístico não é o cumprimento de uma série de tarefas ou o conhecimento de das letras e sílabas, mas a compreensão do funcionamento do código.





Lev Semenovitch Vygotsky 1896 — 1934
Vygotsky e seus seguidores estudaram o desenvolvimento das capacidades intelectuais superiores do homem. Acreditando que a linguagem atuaria como o principal fator para que esse desenvolvimento ocorresse. Analisando a linguagem como um conjunto de símbolos como caráter histórico e social, enfatizaram a importância da informação e da interação lingüística para a construção do conhecimento. Suas idéias sobre linguagem ajudaram a esclarecer as relações entre pensamento, linguagem, desenvolvimento e aprendizagem.

Quando se acreditava que a criança não estabelecia relações com a linguagem no período anterior à alfabetização, as atividades desenvolvidas num primeiro momento na escola eram treino de habilidades - Coordenação motora, memória, percepção visual e auditiva. Assim pensava-se que preparava a criança para o trabalho de leitura e escrita.

Todo conhecimento apresentado de forma lúdica, torna a aprendizagem mais significativa e leve, nos mostra que aprender não é sinônimo de sofrimento.
Acredito que em todas as fases da vida continuamos aprendendo e buscando. O erro faz parte de qualquer aprendizado. O erro deve ser tratado de maneira mais natural possível.
O importante é que a criança escreva do seu jeito, para o adulto mediar e encontrar caminhos.

A neurociência, área da medicina que estuda o sistema nervoso, está contribuindo para esclarecer o que acontece com o cérebro da criança quando está em contato com novas informações, como ela processa essas novidades e de que forma o aprendizado se torna conhecimento para a vida toda.
Temos uma genética própria da espécie que determina os tempos de amadurecimento. Aprendemos conforme o corpo e o cérebro.
Não adianta, portanto, querer que bebês andem aos 4 meses ou se alfabetizem com 1 ano: eles ainda não estão preparados.
Se não houver patologia ou má formação cerebral, entre 4 e 7 anos todos os humanos já são capazes de reconhecer e nomear objetos, transformar sons em símbolos (letras e sílabas).
Papais e mamães não vão culpar os professores de seus filhos de 2 ou 3 anos por eles não estarem lendo!!!!
Já passei muito por isso em escolas.
Os pais devem se conscientizar das conquistas de cada idade, assim não cria uma ansiedade na criança.

Despertar emoções é uma forma de fazer as crianças prestarem atenção, sem concentração dificilmente o cérebro vai armazenar.
Emoção = Memórias, algo importante da vida da criança, levar em conta suas opiniões, questionamentos e respeitá-los.
Medo também é uma emoção, mas não funciona, causa estresse.
O humor permite ao cérebro fazer relações atípicas e percorrer um caminho diferente para armazenar e resgatar informações. Associa o aprendizado com o prazer.

Brincadeiras para despertar e desenvolver a criatividade e aprendizado

0 a 12 meses

Brincar de “cadê, achou”
Fazer caretas, sons e imitar gestos.
Bater Palmas
Pegar e soltar objetos
Ouvir música e dançar
Encaixar blocos grandes

18 a 36 meses
Brincar de boneca
Brincar com tinta
Fazer construções com blocos
Imitar cenas (como lavar o rosto e limpar o chão)
Observar as formigas

3 a 6 anos
Simular conversas ao telefone
Inventar histórias, vestir fantasias
Usar fantoches
Brincar de miniaturas
Desenhar e pintar com giz de cera e lápis de cor




A partir de 6 anos

Inventar novas regras para os jogos
Fazer coleções
Realizar experiências científicas
Construir sucata
Ler poesias
Encenar uma história de um livro ou filme
Apostar corrida, jogar peteca, pular corda


Exageros que barram a criação

Elogiar demais
Dizer todo tempo que uma criança é inteligente pode deixá-la autoconfiante. Ela vai acreditar que a habilidade é inata e não vai se esforçar quando tiver um bom desempenho.

Criticar erros
Agir sem medo de errar é outra atividade natural da criança. Se você julgar sempre que ela fizer algo errado, pode se tornar insegura e perder a chance de criar coisas novas.

Inibir os porquês
Deixe a criança livre para perguntar, pois essa necessidade de questionar faz parte do aprendizado dela.

Super estimular
Seu filho não precisa de uma montanha de brinquedos ou de uma agenda cheia. Apresente uma coisa por vez para ele focar em algo.

Comparar com outras crianças
Enquanto o colega de escola (ou irmão mais velho) é bom em matemática, seu filho pode desenhar muito bem. A criatividade está em diferentes áreas. É uma questão de talento.


Conheça a criança para ajudá la a desenvolver sempre. Lembre-se que o nosso futuro depende delas e um crescimento e aprendizado saudável depende de nós.


" Ler não é decifrar, escrever não é copiar".
(Emilia Ferreiro)

"Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino".
( Paulo Freire )

O único “bom aprendizado” é o que é para o avanço do desenvolvimento.
(Vygotsky)

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.