domingo, 6 de junho de 2010

Festival Primavera Sound












Festival Primavera Sound tem programação musical para crianças

Tem muitos papais e mamães pensando que não podem ir para balada com as crianças. Sabia que na Espanha pode?

Festival de música é coisa de criança!
Ocorreu em Barcelona nos dias 29, 30 e 31 de maio.
O Primavera Sound chegou esse ano à sua décima edição e já pode ser considerado entre os melhores festivais de indie rock do mundo.
No dia 30 de Maio, entre uma apresentação e outra, a criançada podia participar de oficinas, competições e brincadeiras.
Para proteger os ouvidos mais sensíveis, os pequenos usavam protetores - enquanto os pais podiam ouvir em alto e bom som os shows.

Neste ano, o Primavera Sound teve pela quarta vez uma programação dedicada ao público infantil, o Minimúsica.
Artistas que participam do festival preparam material novo ou adaptam algumas de suas canções para um público formado por crianças e familiares. A norte-americana Kymia Dawson e os espanhóis Fred i Son e Le Pianc foram alguns dos nomes que tocaram para as crianças.
A ideia do Minimúsica é integrar o público infantil à música apresentada ao vivo no festival para, quem sabe, contribuir com a educação musical das crianças.
Sem "música de crianças", a idéia foi de estimular o pensamento crítico e a sensibilidade, especificamente para melhorar as experiências sócio-musical de crianças.
Além de shows, a equipe Minimus preparou uma série de atividades complementares (oficinas, bolinho de decoração, placas de argila e de alimentos baseados em colagens)
Além dos shows, o evento mirim ofereceu oficinas de atividades que esse ano teve como tema a "alimentação".
Essa é mais uma proposta para conciliar a maternidade com a vida social e moderna.
Que tal um evento desse aqui no Brasil?
Eu apoio!
Temos uma cultura musical extremamente rica, vamos incentivar.
Não deixem de conferir mais novidades como essas na revista N Magazine, a revista para a Nova Geração de pais.

Tomato em Ketchup

Musiquinha - Tomatinho Vermelho




Essa música sempre foi um sucesso entre as crianças.
Elas adoram a história do tomate esmagadinho, não que gostem de tragédias rs, mas dentro dessa pequena musiquinha, podemos trabalhar diversos temas.

Tomatinho vermelho
Pela estrada rolou
Rolou!
Um grande caminhão veio
E o tomatinho esmagou
Esmagou!
Coitado do tomatinho
Amassado ele ficou
Ficou!
Coitado do tomatinhoooooooooooooooooo

...

Catchup virou, catchup virou
Catchup virou, catchup virou


Agora com anotações e dicas para trabalhar essa música com as crianças
Tomatinho vermelho
- Vamos incentivar os nossos pequenos à pesquisa. Afinal tomate é fruta ou legume?

Pela estrada rolou

Rolou!
- Se o tomate rolou foi devido sua forma esférica. O que mais pode rolar?

Um grande caminhão veio

Tomatinho esmagou

Esmagou!


- O tomatinho estava no meio da rua, o caminhoneiro não viu, é perigoso atravessar a rua sem olhar. Caminhoneiro é uma profissão bem interessante, podemos pesquisar junto aos pequenos essa profissão e o caminhão pode servir de ponto inicial para os meios de transporte.


Coitado do tomatinho

Amassado ele ficou

Ficou!
- Porque o tomate ficou amassado, se fosse uma bola de futebol ficaria? E uma laranja? Vamos amassar diversas frutas e objetos para ver como fica.

Coitado do tomatinhoooooooooooooooooo


Catchup virou, catchup virou
Catchup virou, catchup virou

Hum! Essa é bem interessante.
O processo de criação dos alimentos
.

As crianças não sabem como os alimentos são feitos. Muitas delas acham que a carne vem do mercado, da bandeja, da prateleira e nunca do boi.
Lembro até hoje da carinha de espanto de um aluno quando eu disse que a carne era do boi, porco, galinha e o leite da vaca.
Meu sobrinho não comia tomate de jeito nenhum, mas amava macarrão ao sugo e se lambuzava no catchup. Até que eu disse que tanto o molho como o catchup eram feitos do mais puro tomate.
Mais uma carinha de espanto. Hoje come tomate, mas picadinho, porque a avó pica tudo no prato. Até pra mim, isso em minha época de solteira, ai saudade!
Nos dias de hoje com tudo industrializado não podemos esquecer-nos de conscientizar os pequenos da origem dos alimentos.
De uma pequena musiquinha, podemos levá los a tantas descobertas significativas.
Nada vem do mercado, o mercado é o final e não o começo.
Vale a pena uma conscientização. Vejo tantos projetos em escolas falando sobre o Meio Ambiente, saber de onde vêm os alimentos é de extrema importância para o meio ambiente.
Sempre falo e repito. A criança é um ser atuante na sociedade, só depende de nós ajudarmos a construir cidadãos críticos e pensantes.

Diversão em casa e em Família

Esses dias de muito frio me veio à cabeça lembranças da minha infância. Meus pais faziam questão que os fins de semana fosse de diversão mesmo sendo em casa.
Era tão gostoso! Essa lembrança me trouxe sensações agradáveis e pude com muita saudade refletir sobre a importância que esses momentos teve em minha vida.
Vivemos em uma sociedade que se encontra tão envolvida em tantos compromissos que acaba deixando de lado o tempo para aproveitar e curtir em família.
Segue algumas dessas idéias sobre como desfrutar de uma noite divertida em família.
Mesmo todos em casa, cada membro da família prefere o seu “cantinho”. O pai quer assistir futebol, a mãe ler alguma coisa, os filhos no computador ou vídeo game.
A família tem se tornado um grupo de pessoas que moram na mesma casa, porém não se conhecem.
Cientificamente foi provado que as famílias que fazem refeições em conjunto são emocionalmente mais estáveis. E já que todo mundo tem que comer, porque não começar a sua noite de diversão em família cozinhando todos juntos?
As refeições familiares não precisam ser elaboradas ou tediosas para se preparar. Elas podem ser tão simples como cozinhar hambúrgueres, congelados, batatas, etc. Você pode preparar algo que todos farão parte do processo de elaboração e cozimento. Alguém pode cortar legumes, outro se encarrega da sobremesa e um responsável da refeição principal.


Ao elaborar e cozinhar, nasce uma conversa agradável, momentos são relembrados, sonhos são confessados.
Depois do jantar, lavar a louça e arrumar a bagunça também faz parte da diversão, a conversa não para.
Separe alguns jogos não tão competitivos, os pequenos devem fazer parte do jogo também.

Se os jogos não estão entre os seus favoritos, você pode programar uma noite de cinema. Encontre um filme que todos vão gostar ou pelo menos tolerar, não se esqueça daquela boa Pipoca. Comédia sempre é uma boa escolha, mesmo assim fique de olho na faixa etária.
Quem não se lembra das noites em família? Os programas de tv e aquele filminho junto aos pais e irmão?


Recorde um pouquinho. Recordar deixa que aquele sentimento gostoso e acolhedor volte para tomar conta da sua casa.
Pegue os álbuns de família, festas, casamento, aniversários e fotos em geral. Lembrem da maneira como eram as crianças, explique e conte o que aconteceu naquele dia. Todo mundo gosta de ver fotos, ouvir histórias sobre si mesmo, até aquelas que podem ser constrangedoras.
Não importa quanto ocupada a sua família pode ser, é vital ter tempo para se reconectar com a família. Você pode usar algumas dessas idéias, o importante é fazer algo que todos, não importa qual a idade, sejam capazes de apreciar e olhar para frente.
Família é base e sem base não se constrói.

Sugestão de Filme

- Os incríveis: Roberto Pêra (Craig T. Nelson) já foi o maior herói do planeta, salvando vidas e combatendo o mal todos os dias sob o codinome Sr. Incrível. Porém, após salvar um homem do suicídio, é processado e condenado na Justiça. Uma série de processos seguintes faz com que o Governo tenha que desembolsar uma alta quantia para pagar as indenizações, o que faz com que a opinião pública se volte contra os super-heróis. Em reconhecimento aos serviços prestados, o Governo faz a eles uma oferta: que levem suas vidas como pessoas normais, sem demonstrar que possuem superpoderes, recebendo em troca uma pensão anual. Quinze anos depois, Roberto leva uma vida pacata ao lado de sua esposa Helen (Holly Hunter), que foi a super-heroína Mulher-Elástica, e seus três filhos. Roberto agora trabalha em uma seguradora e luta para combater o tédio da vida de casado e o peso extra. Com vontade de retomar a vida de herói, ele tem a grande chance quando surge um comunicado misterioso, que o convida para uma missão secreta em uma ilha remota.

Invista em sua família!!!!

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.