sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Ciência é diversão

Por meio de experiências como professora, aulas e observação pude ter a conclusão que o aprendizado se torna significativo quando é prazeroso.
Hoje em dia devemos promover a mudança conceitual e facilitar a aprendizagem significativa, ou seja, descobrir o mundo que nos rodeia por meio de livros, textos e dentro da sala de aula não faz com que o aluno tenha contato e sinta o que está aprendendo.
O aluno precisa ser estimulado a propor hipóteses, pensar sobre elas, criar estratégias para o desenvolvimento de pesquisas, ter as suas próprias conclusões por vivências e não por livros ou pelo professor.
Ciências deve ser vivênciada e tocada para o aprendizado, caso isso não ocorra, será algo apenas lido e decorado.
Existem alguns locais interessantes para as crianças vivenciarem o aprendizado por meio de um passeio em família, com amigos, com a escola, etc.

No Catavento, novo museu paulistano instalado no Palácio das Indústrias, há jogos eletrônicos, filmes em 3D e inúmeras experiências para incentivar a curiosidade de jovens e crianças. É um grande e magnífico espaço cultural e educacional que apresenta ao público, especialmente o jovem, a ciência e os problemas sociais, de um modo atraente e participativo. Tem 4 seções, em 4000m²: Universo, Vida, Engenho e Sociedade.
Uma visita completa leva em torno de três horas e sua organização lembra a do currículo escolar.
A entrada ao museu se dá por uma sala que simula o ambiente da Lua. Depois, o passeio é repleto de painéis que explicam o funcionamento do sistema solar. No miniplanetário, observam-se constelações como o Cruzeiro do Sul. Os visitantes podem tocar ainda um pedaço de meteorito de 8 quilos que teria 4,5 bilhões de anos.

Os pequenos vão gostar do aquário e do quadro com 700 borboletas da Amazônia. Os adolescentes devem curtir os games nos quais identificam os cantos dos pássaros. Quem já saiu da escola provavelmente terá interesse nas réplicas do corpo humano e nos vídeos sobre Darwin, originalmente lançados pelo Museu de História Natural de Nova York.
Há várias máquinas e brinquedos que demonstram fenômenos da física. Três exemplos: uma balança em que se tem noção do peso na Lua e em alguns planetas (ele difere por causa da força da gravidade, lembra?); uma sala cheia de espelhos e prismas, que demonstram conceitos ópticos; e um gerador de energia estática, que faz os cabelos ficar em pé.

A parte mais interativa do museu é o salão de paredes azuis, que trata de alguns temas da história. Há um jogo em que os alunos assumem a personalidade de um líder como Churchill e têm de tomar decisões pertinentes aos acontecimentos da II Guerra Mundial. Outro em que todos votam (em segredo) a favor ou contra uma questão polêmica, como o aborto. A parede de escalada até grandes figuras da humanidade também fica aqui.

Neste pequeno cinema com projeção em três dimensões, os alunos põem óculos especiais e sentem-se em pontos turísticos do Rio de Janeiro. Na sala ao lado, há projeção de filmes feitos por turistas nos cinco continentes.

Catavento Cultural e Educacional. Parque Dom Pedro II, centro, 3246-4100. Terça a domingo, 9h às 17h. R$ 6,00. A bilheteria fecha uma hora antes. Estac. (R$ 8,00, três horas). Visitas de escolas devem ser agendadas.
Por Camila Antunes
Fotos Leo Feltran
Veja São Paulo - Editora Abril






Não creio na existência de crianças que não gostem de animais, por vista desse fato outro passeio super divertido e interessante é o Zoológico. Animais de todo o mundo estão reunidos no Zoológico de São Paulo. Com 824 mil metros quadrados de área, o parque atrai as crianças por causa de sua ampla variedade de bichos e de seu clima “selvagem”. No local, o visitante pode observar, com total segurança, 3.200 animais, entre grandes felinos; cobras; aves e até os “gigantes” elefantes e rinocerontes. Em cada jaula, há placas explicativas com informações sobre os hábitos do bicho e de seu habitat natural. Quem gosta de aventura pode fazer o passeio noturno. Além de observar animais noturnos em plena atividade, como o leão e o hipopótamo, os visitantes têm acesso a áreas restritas, como o cambeamento –jaulas onde alguns bichos, como o tigre, são transferidos de noite. Quem quiser fazer esse passeio, porém, precisa ter paciência: por conta da enorme procura, as listas de espera chegam a oito meses.




A idéia do passeio noturno surgiu após os visitantes reclamarem da inatividade de alguns bichos. Quem nunca se impressionou com a preguiça do tigre ou com a sonolência da onça-pintada em plena luz do dia?





Zoológico de São Paulo Local: Avenida Miguel Estéfano, 4.241, Água Funda Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h às 17h - fechamento da bilheteria às 16h Ingresso: Passeio diurno – R$ 12 Tour noturno – R$ 60 Informações podem ser obtidas pelo telefone: (11) 5073-0811



O Parque Newton Freire Maia é um espaço dedicado a divulgação científica e tecnológica. Busca-se o incentivo para a discussão à respeito do caráter humano presente nestas atividades e a importância de uma análise crítica dos impactos sociais, culturais e ambientais do progresso científico e tecnológico.
Utilizando-se de recursos lúdicos inter e transdisciplinares destinados a causar emoções no público, o ambiente do Exploratório propicia ao visitante a oportunidade de interação com experimentos clássicos e discussão sobre temas científicos, almejando-se a valorização do ser humano e a sustentabilidade do meio ambiente. Além disso, é um recurso amplamente utilizado por professores das mais diversas áreas, oportunizando a possibilidade de complementar uma enorme gama de assuntos vistos em ambiente escolar.
Através de recursos didáticos, multimídia, experimentos, painéis, ilustrações, oficinas e visitas orientadas, a equipe de monitores leva o visitante a um fascinante caminho através do desenvolvimento científico e tecnológico, sempre enfocando os princípios que nortearam tais avanços.
O Parque Newton Freire Maia está localizado na Área de Proteção Ambiental do Rio Irai que compreende parte de 5 municípios da Região Metropolitana de Curitiba: Pinhais, Piraquara, Quatro Barras, Campina Grande do Sul e Colombo.
A APA-Irai ocupa 11.000 hectares protegido por um Zoneamento Ecológico aprovado pelo Conselho Gestor de Mananciais, com decreto estadual datado de 12/06/2000.
As áreas de preservação de mananciais objetivam garantir a qualidade hídrica e dar uso adequado às áreas adjacentes às bacias de contribuição.
Esta intervenção possibilita a compatibilização da política preservacionista com o conjunto de ações sustentáveis econômica e sócio ambiental, alavancando o turismo regional.
No Paraná, a política ambiental tem sido um elemento característico que se evidencia no cuidado com os rios, fontes, lagos, botânica e fauna associados a um trabalho educativo.
O parque conta com diversas oficinas com o objetivo de aprofundamento nas seguintes áreas:


Astronomia


Biologia - Evolução dos Vertebrados


Biologia - Água


Geografia


Matemática


Química

Física - Em Breve


Duração:
Em torno de 3 horas (de terça-feira a sábado, manhã: 8h30 às 11h30, tarde: 13h30 às 16h30), segundo o calendário de eventos do Parque.


Estrada da Graciosa, 4000 – Pinhais – PR Telefone: (41) 3666 – 6156



As abelhas são insetos sociais que surgiram há milhares de anos. Sua função principal é fecundar as flores, fazendo assim a polinização cruzada e perpetuando o mundo vegetal em troca do néctar como alimento. Seus produtos são uma fonte rica de alimento para o homem.




A Cidade das Abelhas é um passeio ideal para quem aprecia a natureza. Localizada numa extensa área da Mata Atlântica, a pequena cidade tem um parque ecológico com 20 mil metros quadrados, onde estão instalados uma abelha gigante feita de fibra de vidro, uma colmeia com paredes transparentes e a Casa do Mel, com vários tipos de mel para degustação.O passeio mostra a importância desses insetos (considerados os mais úteis entre as espécies), da ecologia e do lazer. Entre as atrações para as crianças, destaca-se o arbelhismo, uma espécie de arvorismo menos radical: em cima de uma abelha gigante, com dez pontes diferentes e vários graus de dificuldades, é possível brincar em tubos circulares de 5 e 16 metros, escorregadores, pula-pula, casinha da abelhinha, escalada, balanças e diversos outros brinquedos. As visitas não são monitoradas e não é necessário agendar horário para adentrar no local.

Em Embu das Artes (Parque): Estrada da Ressaca, Km7
Telefone:(11) 4703-6460

Em São Paulo: Shopping Butantã
Telefone: (11) 3726-8772
Já temos alguns lugares interessantes para as nossas crianças e para nós adultos.
Esse post me fez lembrar de um educador francês Célestin Freinet.
Ele defendia a Aula Passeio por acreditar que o interesse da criança não estava na escola e sim fora dela, Freinet idealizou esta atividade com o objetivo de trazer motivação, ação e vida para a escola.
Para Célestin Freinet, "Não são a observação, a explicação e a demonstração - processos essenciais da escola - as únicas vias normais de aquisição de conhecimento, mas a experência tateante,que é uma conduta natural e universal".
Não é somente dentro da sala de aula, prestando atenção ao que o professor diz, fazendo leituras de textos, respondendo questões do texto e copiando tudo da lousa o único meio de aprendizado para o aluno. O ano letivo não se faz somente na sala de aula.
"A escola cultiva apenas uma forma abstrata de inteligência, que atua fora da realidade fica fixada na memória por meio de palavras e idéias".
Depois volto com mais sugestões de passeios!
Kelly

Ser Pedagogo

Ser Pedagogo não é apenas ser Professora, Mestre, Tia, Coordenadora, Supervisora, Orientadora, Dona de escola.
É mais do que isso.
É ser Responsável.
Ser Pedagogo é ter coragem de enfrentar uma sociedade deturpada, equivocada sem valores morais nem princípios.
Ser Pedagogo é ser valente, pois sabemos das dificuldades que temos em nossa profissão em nosso dia a dia.
Ser Pedagogo é saber conhecer seu caminho, sua meta, e saber atingir seus objetivos.
Ser Pedagogo é saber lidar com o diferente, sem preconceitos, sem distinção de cor, raça, sexo ou religião.
Ser Pedagogo é ter uma responsabilidade muito grande
nas mãos.
Talvez até mesmo o futuro...
Nas mãos de um Pedagogo concentra- se o futuro de muitos médicos, dentistas, farmacêuticos, engenheiros, advogados, jornalistas, publicitários ou qualquer outra profissão...
Ser Pedagogo é ser responsável pela vida, pelo caminho de cada um destes profissionais que hoje na faculdade e na sociedade nem se quer lembram que um dia passaram pelas mãos de um Pedagogo.
Ser Pedagogo é ser mais que profissional, é ser alguém que acredita na sociedade, no mundo, na vida.
Ser Pedagogo não é fácil, requer dedicação, confiança e perseverança.
Hoje em dia ser Pedagogo em uma sociedade tão competitiva e consumista não torna-se uma profissão muito atraente, e realmente não é.
Pois os valores, as crenças, os princípios, os desejos estão aquém do intelecto humano.
Hoje a sociedade globalizada está muito voltada para a vida materialista.
As pessoas perderam- se no caminho da dignidade e optaram pelo atalho da competitividade, é triste pensar assim, muito triste pois este é o mundo dos nossos filhos, crianças que irão crescer e tornar- se adultos.
Adultos em um mundo muito poluído de idéias e sentimentos sem razão.
Adultos que não sabem o que realmente são.
Alienados, com interesses voltados apenas pelo Ter e não pelo Ser.

Ser Pedagogo é ter a missão de mudar não uma Educação retorcida, mas ser capaz de transformar a sociedade que ainda está por vir.
Pode ser ideologia pensar assim, mas como Pedagogos temos a capacidade de plantar hoje nesta sociedade tão carente de valores, sementes que um dia irão florescer.
E quem sabe essa mesma sociedade que hoje é tão infértil possa colher os frutos que só a Pedagogia pode dar.